CAIXA PRETA OU DISCUSSÃO TÉCNICA?

Mais uma vez, a dupla Rosane de Oliveira e Geraldo da Camino se une para atacar a Prefeitura de Porto Alegre. Aliás, isto não surpreende a mais ninguém pois os “paladinos da justiça” tentam impor ao Paço Municipal responsabilidades que não conseguem provar. Hoje em seu blog a Rosane afirma que “na briga entre as empresas de ônibus e a Prefeitura, o trabalhador que depende do transporte coletivo está pagando uma conta antiga”. Pelo que sei, o que está ocorrendo é uma disputa sindical, em plena data base da categoria dos rodoviários, que reivindicam um aumento salarial de 14%, e, por não estarem sendo atendidos pelos empresários, decidiram paralisar o sistema de ônibus de Porto Alegre. É importante lembrar que isto acontece anualmente durante os meses de dezembro e janeiro (data base da categoria). Para que a disputa entre os rodoviários e os empresários não prejudicasse mais a população, fomos ao Poder Judiciário e conseguimos ampliar o atendimento com o aumento da frota de 30% para 70% no horário do pico. Os rodoviários não acataram a decisão judicial e decidiram paralisar totalmente o transporte público.
 
Segundo: a discussão sobre a planilha de cálculo da tarifa continua em aberto até hoje. O TCE não se pronunciou sobre o mérito dos pedidos realizados pelo Sr. Da Camino. Estamos há um ano discutindo a matéria e até agora não temos uma definição. Este fato é determinante para que o novo cálculo da tarifa possa ser feito sem qualquer questionamento posterior. Mais do que ninguém, desejo que o TCE estabeleça as diretrizes finais para o cálculo da tarifa, algo absolutamente complexo e polêmico, razão pela qual ainda não temos decisão a respeito.
 
Terceiro: afirmar de forma leviana que “abrimos a caixa preta do sistema do transporte coletivo” é jogar para a torcida, pois a tarifa do transporte coletivo por ônibus está disciplinada pela lei 8.023 de 24 de julho de 1997 e regulamentada pelo Decreto 14.459 de 30 de janeiro de 2004 e encontra-se publicada no site da Prefeitura para conhecimento geral. O que o Sr. Da Camino argumenta é que o MPC questionou e conseguiu duas liminares suspendendo o cálculo de dois itens da planilha que considera a frota total e não somente a operante. Pois bem, estes itens estão em análise no TCE, e até o momento não tem uma decisão final do mérito.
 
Quarto: é verdade que o debate sobre a tarifa em 2013 possibilitou a redução da passagem. Mas, isto se deu também pelo esforço dos governos federal e municipal: a desoneração da folha e a isenção do PIS/COFINS por decisão do Governo Federal e a isenção do ISS por parte da Prefeitura. Além do mais, a Frente Nacional de Prefeitos tem dedicado esforço para a aprovação do REITUP e da CIDE para diminuir ainda mais as passagens dos ônibus e regulamentar o sistema de transporte coletivo em todo o país.
 
Porto Alegre está completando 242 anos e a Constituição Federal, seus 25 anos. Neste período, o sistema de transporte coletivo de Porto Alegre nunca teve uma licitação exatamente pela complexidade da matéria. Não são poucas as cidades que tentaram viabilizar uma licitação e o processo parou na justiça. O Senador Lindberg Farias (PT/RJ), na condição de prefeito da cidade de Nova Iguaçú, tentou por 6 vezes realizar a licitação e não conseguiu. Nós estamos trabalhando seriamente para que isto ocorra, levando em consideração a instalação dos BRTs, do futuro metrô de Porto Alegre e a conexão com o transporte coletivo de região metropolitana. Não levar em consideração estes requisitos básicos para uma licitação responsável é jogar para a torcida, coisa que, felizmente, não costumamos fazer.
 
O nosso compromisso é continuar tratando o tema do transporte coletivo com absoluta seriedade e transparência. E esta discussão está sendo feita de forma aberta e transparente com o TCE. O Sr. Da Camino pode ter as suas razões mas não é o senhor da verdade. Estamos tratando o debate com a devida seriedade técnica junto ao TCE e, por isso, é inadmissível que sejam utilizadas expressões populistas com o único objetivo de fazer média com os que legitimamente desejam pagar menos para ir e vir na nossa cidade.

Sobre Fortunati
Prefeito de Porto Alegre, 58 anos, casado, apaixonado pela família, pelos animais, pela vida e pela Capital de todos gaúchos, Cidade que me recebeu de braços abertos quando deixei o interior para completar os estudos, e que hoje tenho o orgulho e a honra de administrar.

Comentários

11 Comentários para “CAIXA PRETA OU DISCUSSÃO TÉCNICA?”
  1. DanielNo Gravatar disse:

    É isso ae prefeito, falo td e falou bem, Rosane fica no ar-condicionado, não utiliza e nem sabe quais ônibus passam em frente a sua casa, ficam só atirando pedra e se passando por defensores do “povo”.

  2. valdir leusinNo Gravatar disse:

    esta greve esta prejudicando a população,gente perdendo o emprego,comercio tendo prejuisos,e o prefeito encima do muro,para sair bem na FOTO! kkk.e o povão que se Lixe! ai tem angú debaixo desta coisa.Tem maracutaia,como sempre….e o prefeito se faz de coitado! e lava as mãos.Quando sair uma licitação~..tudo fica igual.as cartas ja estão marcadas.o jeito é fazer um quebra de novo,dai sim >esta na hora!sacANAGEM.!

  3. Caldo KnorrNo Gravatar disse:

    A licitação do transporte não foi feita porque a matéria é complexa. Não foi feita porque o cartel do transporte, encastelado na cidade, não deixa. E o poder público não tem força suficiente para fazê-la.

  4. Li os escritos pelos dois entes da mídia ZH. (Rosana e Dacamina) que não conheço esta 2ª pessoa.
    O que tenho a dizer, e faço aqui uma lembrança, dessa média podre, quando das greves dos professores. O culpado são sempre os professores . Teve uma política,que teve a coragem de dizer : como ficam as mães que precisam trabalhar, e ,agora, não t~em onde deixar seus filhos ? Só que ela ( a vereadora) é tão imbecil,que não lembrou, que existem milhares de professoras que saem de manhã, e só chegam a noite em casa, e deixam seu filhos com QUEM? p/q elas ganham tão pouco, que não podem pagar creche e ou empregada.Mas mesmo assim vão ensinar os filhos dos outros.
    ENTÃO, no seu caso é a mesma coisa: O culpado é sempre o prefeito.O boeiro entupiu,porque opovo é relaxado.O culpado é o prefeito. E a mídia podre, sempre vai estar do lado de quem não tem razão…..para poder escrever alguma coisa,só para não perdere o seu emprego.
    Colocaste muito bem…todas as razões desta greve…. e a legislação vigente, no caso e para o caso. Só tenho dúvidas se a Rosana e o outro vão entender…. o que significa as leis…e que um Aministrador publico, tem que se reger … e respeitar .
    dacamino

  5. AlexNo Gravatar disse:

    Condicionar a licitação do transporte quando tiver definição do metro e BRT´s (que nem serão BRT´s de verdade) é sacanagem né?

    Tu acredita mesmo que estas definições estarão prontas em menos de 4 anos? ah, daí já é outra administração né?

    E da planilha, que vocês alegam estar “aberta”, onde ela mostra o REAL percentual de lucro das empresas? lucro esse que só aumenta quando o custo aumenta? assim até eu quero ser concessionário de empresa de transporte coletivo!

  6. Fabio JuchenNo Gravatar disse:

    Caro prefeito
    É lamentavel a inércia do Poder Público Municipal. Os rodoviários descumprem um medida judicial e nada. É sabido através de documentemo que desde o início da sua gestão houve a diminuição no numero de viagens de ônibus em Porto Alegre. Tenho como comprovar e em breve vai sair na imprensa. A EPTC e a prefeitura sempre foram muito simpaticos e defensores do aumento nas passagens. Os concessionários não renovam a frota a tres anos, o numero de veiculos não aumentou, o numero de viagens diminuiu e o numero de passageiros transportados aumentou. Que faz a prefeitura ? Nada. Não tem autoridade. É amofica e sem poder politico. Rodoviários e concessionários fazem o que querem. E a prefeitura ? Nada. Não pune concessionários, não exige prestação de serviço com qualidade, se preocupa com a rentabilidade do sistema. Desculpa, uma “Mãe Joana”. O BRT não é solução. já tivemos em Porto Alegre na decada de 80. O sr lembra ? ônibus lotados, pessoas transportadas como bicho e espera interminaveis nos terminais da Alameda e Bento/Antonio de Carvalho.. Neles os usuários esperavam ate 50 minutos para ter um ônibus para leva-los ate o bairro. O sr Capellari seu secretario pode falar muito bem disso, pois naquela época era coordenador do terminal da Bento. 24 anos após a sua competencia em gerenciar pro concessionarios é premiada como secretario de mobilidade e presidente da EPTC. Prefeito, olhe para o umbigo. veja uma cidade parada, imobilizada, igual a prefeitura. Não é hora de escrever é hora de agir. Atitude! Chega de verborragia e ficar criticando os outros. Mostre que a verdade é outra com ação e não com palavras… Abraços Fabio Juchen (fabio-juchen@sortimentos.net)

  7. PierreNo Gravatar disse:

    E quanto a licitação do transporte público Sr. Prefeito?

  8. As empresas de ônibus custeiam a campanha política de muitos partidos em Porto Alegre. Além da falta de licitação, não há transparência do detalhamento dos gastos destas empresas. Ha pouco, diretores da Carris foram afastados por superfaturamento na adesivagem dos ônibus. Não aguentamos mais esse jogo de compadres.

  9. Maryur SilberNo Gravatar disse:

    Olá amigo e prefeito concordo com teu comentário, abraços. Maryur Silber

  10. É preciso bater na tecla da resposta ao povo de Porto alegre explicando didaticamente para formar opinião e fazê-los entender que estes críticos o fazem para confundir e denegrir a administração municipal. É o Quero-Quero fazendo barulho para desviar atenções.

  11. Prefeito Fortunati, parabéns pela atitude! Mesmo os grevistas não tendo acatado a decisão judicial, creio que o senhor agiu corretamente.

Comente

Diga-nos o que você está pensando ...
e oh, se você quiser uma imagem para mostrar com seu comentário, vá buscar uma gravatar!

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar