MANIPULAÇÃO DA VERDADE NA SAÚDE

Sim, a verdade faz bem à saúde. A verdade que está de acordo com a realidade e que constrói pontes nas relações entre pessoas, essa sim faz bem à saúde. Já os simulacros da verdade, que distorcem e manipulam os fatos, além de não contribuírem para o debate sadio, se transformam em propagandas enganosas.

Aliás, a verdade é requisito básico para um diálogo crítico, transparente e propositivo. Esbravejar por mais investimentos na área da saúde, sem contextualizar o modelo, não resolve o problema. Queremos, com toda a tranquilidade e respeito, aprofundar a discussão sobre o tema. No entanto, é preciso esclarecer alguns fatos sobre a verdade da saúde em nossa cidade.

Porto Alegre é a Capital brasileira que mais investe em saúde. São mais de 22% do seu orçamento; mesmo assim, nem todo esse dinheiro parece ser suficiente para resolver os históricos problemas nessa área. Esta é a realidade que precisamos enfrentar.

Já estamos colhendo frutos desses investimentos: temos a menor mortalidade infantil do Brasil (comparável apenas aos melhores índices mundiais), reduzimos em 25% a mortalidade por problemas cardiovasculares (um em cada quatro), diminuímos progressivamente os tempos de espera para atendimento (76% das especialidades médicas não apresentam fila de espera); para se ter uma ideia do avanço, pacientes com fraturas e que necessitam de cirurgia têm o acesso ao tratamento mais rápido do país.

Há mais de um ano o Hospital Municipal de Pronto Socorro dispõe de denominada UTI adulto (além da UTI de trauma pediátrico e da UTI de grandes queimados). O HPS está se modernizando e já promoveu adaptações internas que resultaram num aumento para 20 leitos de UTI adulto, possibilitando a ampliação e qualificação do atendimento aos usuários.

Avançamos na informatização das consultas eletivas. A fila de espera para ortopedia reflete a transição do modelo analógico ao digital. Optou-se por modelo inclusivo. Foram mantidos os cadastros dos pacientes – com nomes incompletos ou parecidos – sem registro de atendimento efetivado. Partiu-se, então, para a identificação de duplicidade de registro. Dentro do possível, os pacientes estão sendo contatados e o cadastro, corrigido. Além disso, consultas estão ocorrendo normalmente. Por ano, a Secretaria Municipal de Saúde, disponibiliza 13.216 consultas em ortopedia, e este número vem sendo ampliado progressivamente.

Tenho consciência de que é preciso fazer mais. Reconheço as dificuldades, mas estamos trabalhando, sem corporativismo e sem ranço político, para construir propostas que irão melhorar, de verdade, os serviços oferecidos na área da saúde para todos os porto-alegrenses.

* artigo publicado originalmente na página 2 do Jornal correio do Povo, edição do último domingo, 17 de janeiro.

Sobre Fortunati
Prefeito de Porto Alegre, 58 anos, casado, apaixonado pela família, pelos animais, pela vida e pela Capital de todos gaúchos, Cidade que me recebeu de braços abertos quando deixei o interior para completar os estudos, e que hoje tenho o orgulho e a honra de administrar.

Comentários

1 Comentário para “MANIPULAÇÃO DA VERDADE NA SAÚDE”
  1. Bom Dia.
    Sei dos esforços que prefeitos com a sua capacidade e bem intencionados fazem para melhorar a saúde.
    Mas quero antes de continuar me apresentar.Sou enfermeiro obstetra, com licenciatura e especialista em saúde pública. Participei e organizei várias conferências municipais e estaduais aui em SC onde moro.Trabalhei nesta área por 45 anos e diga-se de passagem saí feliz com meu desempenho mas frustrado com as administrações.
    O fco que se tem da saúde esta errado. A indústria farmacêutica juntamente com o comércio da saúde impedem que esta verdadeiramente seja implantada. Os conselhos municipais que verdadeiramente deveriam gerir a saúde são atrelados a outros interesses sejam politico partidários ou de interesse econômico. Os conselhos LOCAIS de saúde poucas pessoas conhecem e duvido que existam.
    Mas não quero me alongar. Vou dar um exemplo objetivo.Veja qual a comunidade que tem os maiores problemas ligados a conflitos com a comunidade, onde os profissionais não querem trabalhar. Crie neste cenário através dos profissionais um conselho LOCAL COM A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE É CLARO.
    Após algum tempo o Sr. vai verificar a melhoria não só do relacionamento profissional comunidade como também na qualidade de vida. Este resultado faz com que haja uma melhoria na saúde e
    diminuição das internações gastos etc, etc.
    Um grande abraço
    J.Gulherme

Comente

Diga-nos o que você está pensando ...
e oh, se você quiser uma imagem para mostrar com seu comentário, vá buscar uma gravatar!

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar