PENSAR E AGIR SUSTENTÁVEL*

“Pensar sustentável” é o que propõe a 29ª Semana do Meio Ambiente, desenvolvida pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) de Porto Alegre, agora sob a liderança de Cláudio Dilda, uma referência incontestável nessa área. O evento celebra um tema caro à nossa cidade, pioneira nas questões de meio ambiente. Mais do que isso, a proposta pressupõe uma reflexão sobre como tratamos o tema no município.

Podemos afirmar que estamos dando sequência à gestão que mais investiu nos últimos anos na questão ambiental na Capital. Somente no ano passado, entregamos 25 novas praças. Com isso, já somamos 612 praças, oito parques e três unidades de conservação. Hoje, a cidade conta com mais de 1,3 milhão de árvores em vias públicas, às quais se agregaram as 25 mil plantadas no último ano. Desafiamos qualquer cidade de grande porte da América Latina a apresentar dados que se aproximem dos que temos aqui.

No saneamento, estamos concluindo o Projeto Integrado Socioambiental (Pisa), um investimento de R$ 600 milhões que vai elevar de 27% para 80% o tratamento de esgotos e devolver a balneabilidade do Guaíba. Trata-se do maior programa de saneamento básico da última década no Brasil, conforme saúda a ministra do Planejamento, Miriam Belchior.

Somos a cidade referência no atendimento dos animais de rua, o que, infelizmente, nem sempre é considerado como parte da política ambiental. Somos a única capital do país que faz coleta seletiva do lixo em todos os bairros pelo menos duas vezes por semana. Nos 18 galpões de reciclagem, oferecemos oportunidades de renda para mais de 800 ex-catadores. Somos a única capital a utilizar a coleta automatizada de lixo por contêineres. Hoje são 1,2 mil equipamentos, que serão duplicados até o final do ano, abrangendo novas regiões.

As ações mostram mais do que um pensar, senão que um agir em nome da sustentabilidade e do legado que queremos oferecer às gerações futuras. Por isso, decidimos enfrentar com dados concretos e propostas viáveis os questionamentos decorrentes das intervenções para a ampliação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio. Em meio à polêmica, faltou reafirmar que a via está planejada desde o Plano Diretor de 1979, ou seja, somos contestados até por cumprir o planejado para a cidade, sempre com o aval do Poder Judiciário.

Faltou levar em consideração que dos 115 vegetais que seriam removidos, a maioria deles estranhos à nossa região, os técnicos do município foram ao detalhe do projeto e preservaram mais 32 árvores. Faltou reconhecer que já estão sendo plantadas 401 árvores como compensação, além das mais de 2 mil nativas previstas na obra de revitalização da orla do Guaíba, que transformará a área num parque de lazer.
Faltou enfatizar os esforços e as propostas que fizemos ao grupo de manifestantes que impediam a continuidade da obra. Todas as tentativas de estabelecer convergências resultaram inúteis, o que nos permite supor que estavam em jogo outros interesses que não o bem comum.

Nada, entretanto, diminuiu o nosso ânimo de buscar o melhor para a cidade. Isso se reflete na homenagem que recebemos em fevereiro do Programa de Desenvolvimento da ONU, “em reconhecimento a sua notável contribuição e apoio ao Desenvolvimento Urbano, Sustentável e Inclusivo”. Por tudo isso, olhamos para o futuro, conscientes de que daqui a quatro anos nossa Porto Alegre será um lugar ainda melhor para se viver.

* Artigo publicado na edição desta sexta-feira, 7, na editoria de opinião do jornal Zero Hora.

PROJETOS DE QUATRO PAÍSES VENCEM NO DESAFIO CAMPUS PARTY

Ao abrir as portas para ideias inovadoras do mundo todo, Porto Alegre conquistou importantes colaborações para qualificar as áreas da saúde, educação, mobilidade, emprego e limpeza urbana. Os cinco projetos finalistas e o grande vencedor do desafio Campus Party – Como tornar Porto Alegre uma cidade ainda mais inovadora, lançado pela prefeitura em parceria com a Futura Networks, foram conhecido na manhã desta quinta-feira, dia 8.  Um espanhol, dois mexicanos, um colombiano e um brasileiro são os autores dos projetos selecionados entre 395 inscrições de 13 países. Conheça os projetos vencedores:

Rodrigo López Vásquez (Desenvolvimento Tecnológico) – mexicano. O projeto ecOreal, aplicativo para Facebook que trata do sistema de coleta de lixo seco e reciclagem de forma multidisciplinar e divertida. Os moradores da capital gaúcha poderiam recolher materiais reciclados (PET, alumínio, plásticos, papel etc.), que seriam dirigidos a pontos de coletas especiais e receber pontos, os tais “EcoReais”, que poderão ser trocados por mercadorias em estabelecimentos comerciais participantes. A iniciativa traria um grande incentivo para a reciclagem, melhorias na coleta de lixo e também ganhos de imagem para as empresas parceiras.

 

 

Marcelo Amaral (Educação) – gaúcho de Novo Hamburgo, único brasileiro entre os cinco vencedores. No projeto Smart TRI, com um só cartão, os usuários poderão ter acesso ao transporte público da cidade de Porto Alegre e também a várias informações, como acervos de trabalhos acadêmicos e documentos históricos sobre a capital gaúcha. Terminais físicos distribuídos em universidades, escolas, institutos culturais, prédios públicos, centros comunitários, livrarias, aeroportos e estações de trem permitiriam o acesso a estas informações com o uso do cartão, da mesma forma que ele é usado nos ônibus.

 

 

Alejandra Sifuentes (Trabalho e Emprego) – mexicana. Preocupada com os índices de informalidade da força de trabalho, Alejandra Sifuentes foi a escolhida na categoria Trabalho e Emprego. O projeto “Bolsa de Empleo de Trabajos Temporales” propõe criar uma bolsa de emprego de trabalhos temporários. A iniciativa que permitiria amenizar a incerteza econômica do desemprego e aumentar estabilidade do trabalho informal seria viável por meio de um site, onde os usuários entrariam em contato diretamente com os empregadores, em busca da vaga temporária. Os empregados também seria recomendados pelos empregadores, tornando-se referência para novos trabalhos.

 

 

Juan Jose Gasca Rubio (Mobilidade Urbana) – espanhol. O projeto Biking Tour cria sistema de sinalização de direção para bicicletas por meio de GPS. O dispositivo é composto por dois LED’s, um vermelho e outro verde, projetados para serem colocados no guidão das bicicletas. O usuário define a rota que fará utilizando um aparelho móvel com GPS. Ao andar com a bicicleta, o GPS verifica o posicionamento e caso o caminho requeira virar a esquerda, uma luz vermelha acende no guidão esquerdo da bicicleta; para virar à direita, a luz verde entra em ação. A iniciativa torna a bicicleta uma alternativa ainda mais viável de mobilidade urbana.

 

 

William Hernán Gómez (Saúde) – colombiano. O projeto Amigo – Atenção Médica Imediata Geral On-line oferece sistema de consultas médicas por meio de Internet. A consulta, em vez de presencial, seria online, reduzindo custos de deslocamento do usuário. O projeto também otimizaria o tempo de atendimento, já que o banco de dados armazenaria o histórico dos pacientes, contribuindo para o aumento da qualidade de vida da população de Porto Alegre. Além disso, pontos de atendimento móveis e em locais estratégicos facilitariam e aumentariam o acesso dos habitantes ao sistema de saúde.

 


Campus Party – Criada na Espanha, em 1997, a Campus Party é um evento que reúne talentos especializados e criativos. Os participantes do evento mudam-se com computadores, malas e barracas para dentro de uma arena, onde as máquinas se conectam a uma rede superveloz, e os integrantes convivem em torno de oficinas, palestras, conferências, competições e atividades de lazer. A partir de 2008, a Futura Networks, organizadora da Campus Party, deu início a um processo de internacionalização, e o evento ganhou edições no Brasil, Colômbia, México e Equador. Hoje, a Futura Networks dispõe de uma base de mais de 140 mil usuários avançados de Internet, com olhar diferente, tecnológico e multidisciplinar do mundo.

 

UMA COPA PARA PORTO ALEGRE

Estamos hoje a exatos mil dias da Copa do Mundo de 2014, período em que Porto Alegre será sede dos principais jogos de futebol do planeta. Apesar dessa honra e de toda projeção internacional que com ela vem, o mais importante para a Capital gaúcha não são as partidas, mas as oportunidades de gerar o desenvolvimento e de realizar as obras que a cidade tanto espera e necessita.

Embora tenhamos o compromisso de preparar a cidade para receber milhares de turistas, movimentando nossa economia e fortalecendo uma imagem mundial, o principal interesse da Prefeitura é preparar a cidade para quem aqui vive e trabalha. É assim com as obras do Programa Integrado Socio Ambiental, que elevará o índice de tratamento de esgoto de 27% para 80%; com as intervenções na avenida Edvaldo Pereira Paiva, aprimorando o acesso à Zona Sul; com a avenida Tronco, uma grande ação social em parceria com a comunidade; com os viadutos e passagens de nível da Terceira Perimetral, desafogando essa importante via; com as obras já iniciadas da avenida Severo Dullius, que permitirá novo acesso ao nosso Aeroporto e à Zona Norte; com as modernização do HPS; com a construção da Unidade de Pronto Atendimento da Zona Norte; com a duplicação da avenida Voluntários da Pátria e com a construção de elevada em frente à Rodoviária, facilitando a vida de quem chega e sai da cidade, entre outras tantas ações.

Desafio quem quer que seja a dizer que essas obras não são uma necessidade real de Porto Alegre. Soma-se a elas a nossa luta incansável pelo Metrô e a construção e qualificação de corredores de ônibus, que colocarão nossa cidade em outro patamar em termos de transporte coletivo.

Não estamos realizando e investindo em grandes obras de infraestrutura para a Copa, mas pela Copa. Estamos na verdade aproveitando as oportunidades que o fato de ser sede deste evento permite para viabilizar as profundas transformações que todo cidadão percebe serem necessárias em seu dia-a-dia.

É desse modo, com total transparência, responsabilidade, atitude e atenção com quem mais precisa, que realizaremos uma grande Copa, não só para o mundo, mas principalmente para Porto Alegre.

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar