COPA PADRÃO PORTO ALEGRE*

10487299_683870441662952_7480695383066833713_nA Copa do Mundo em Porto Alegre foi palco de muitos gols, dentro e fora do campo. As nove equipes que aqui estiveram deram um espetáculo de bom futebol e a avalanche de “todos os povos e todas as cores” que as acompanhou levou nossa cidade às páginas dos principais jornais do mundo, destacando nossa cultura peculiar, a hospitalidade do nosso povo e a capacidade de organizarmos grandes eventos. A rigor, uma Copa Padrão Porto Alegre.

Pois a plasticidade dos gols esteve também do lado de fora do Beira Rio, e eles foram feitos por uma só equipe, na qual atuaram juntos com a administração municipal os governos federal e estadual, o OP, os órgãos de controle, a sociedade civil, o COL e cada um dos porto-alegrenses, cuja empatia e espírito solidário encantaram os turistas que aqui estiveram.

Desde o anúncio de que Porto Alegre seria uma das cidades-sede, acreditamos firmemente que o evento deixaria um legado material e imaterial inédito. Primeiro, porque teríamos acesso a um volume de recursos federais que viabilizariam obras de mobilidade urbana há muito tempo necessárias. Segundo, ao sermos incluídos na plataforma de um evento de tal magnitude, fortaleceríamos ainda mais nossa marca de Cidade Global, apta a celebrar acordos de cooperação descentralizada, promover nossa economia e nossa cultura e ingressar definitivamente no mapa do caminho do turismo internacional. Encerrado o jogo Alemanha x Argélia, é quase unânime a opinião de que a aposta de Porto Alegre foi coroada de êxito.

A capital gaúcha está orgulhosa por ter encontrado “O Caminho do Gol”. Esta invenção tipicamente porto-alegrense, por cujo traçado, do Centro Histórico até o estádio, desfilaram e dançaram milhares de turistas e brasileiros, serve de metáfora para a comemoração de muitos gols de placa.

Do reconhecimento à cidade como a mais transparente na Copa, passando pelas exibições públicas nas comunidades e valorização de artistas locais na Fan Fest, até o impacto positivo em nossa economia e a entrega das obras no entorno do Beira-Rio e do Viaduto Júlio de Castilhos, concluímos essa etapa da nossa participação com a certeza de que estamos preparados para qualquer desafio, porque aqui temos um Padrão Porto Alegre de organização e hospitalidade.

* Artigo publicado originalmente na editoria de opinião desta terça-feira, 21, no Jornal Zero Hora.

TARIFA DE ÔNIBUS, ZH E BLOCO DE LUTAS

Depois de 15 meses de intensos debates sobre a “Planilha de Cálculo da Tarifa do Transporte Coletivo” realizados pelos Auditores e Conselheiros do TCE, pelo Ministério Público de Contas, pelo Poder Judiciário e pelos técnicos da EPTC, tivemos uma decisão tomada por UNANIMIDADE pelo Tribunal de Contas sobre os itens a serem calculados na tarifa dos ônibus.

Sem dúvida alguma, a partir deste debate público, onde a imprensa participou de forma ativa, contamos com uma das planilhas mais transparentes do país. Ela está devidamente divulgada no site da Prefeitura para consulta pública.
De acordo com a Lei 8.023/97 que impõe o “reajuste da tarifa dos ônibus sempre que ocorrer o Dissídio Coletivo dos Rodoviários” os técnicos da EPTC calcularam a nova tarifa de ônibus de Porto Alegre. A nova planilha e o novo cálculo da passagem foram submetidos a apreciação do COMTU – Conselho Municipal de Transporte Urbano durante 7 dias.

A despesa com pessoal (salário dos rodoviários, vale-alimentação e plano de saúde) tem um impacto de 47% sobre o preço atual da passagem. Ou seja, quase a metade do preço da passagem é utilizada para o pagamento dos rodoviários de POA que tem o segundo maior salário da categoria em todo o país. Do ponto de vista percentual a despesa com pessoal impactou 8,02% no preço da passagem.

Além disso, o aumento dos combustíveis (óleo diesel + lubrificantes) impactou quase 7% no valor. Sem esquecer que a planilha contempla mais de 25 itens na sua composição.
No cálculo final enquanto a tarifa teve um reajuste de 5,66%, a inflação do período foi de 5,91%. Ou seja, o reajuste da tarifa foi inferior à inflação do mesmo período calculado.
Certamente, qualquer gestor público gostaria de não conceder reajustes dos serviços prestados. Mas, infelizmente a inflação continua acontecendo e não reajustar o sistema de transporte coletivo significa simplesmente apostar no seu sucateamento, o que aconteceu em cidades importantes como Brasília, por exemplo.

LICITAÇÃO E TARIFA

A Zero Hora – ZH e o Bloco de Lutas tem se debatido sobre o tema com a mesma intensidade. No ano passado eles defenderam em conjunto o “Passe Livre” como a grande solução para as mobilizações populares. Nenhum e nem outro apresentaram qualquer dado técnico que demonstrasse quem pagaria a conta. Ficou latente o viés populista da proposta.
Neste ano, ZH e o Bloco de Lutas se unem para afirmar que o reajuste da tarifa só deveria acontecer depois da licitação do transporte coletivo. Neste ponto, tenho a convicção de que tanto a ZH como o Bloco de Lutas baseiam as suas crenças na vontade política de fazer média com o usuário do transporte coletivo. Depois de 242 anos de vida, pela primeira vez, um prefeito encaminha o processo de licitação do transporte coletivo da cidade. E estou fazendo isso da forma mais transparente e democrática possível.

Realizamos plenárias em todas as 17 Regiões do Orçamento Participativo sobre o tema. Tentamos realizar uma Audiência Pública no Ginásio Tesourinha quando o Bloco de Lutas impediu com a violência e depredação do Ginásio que o debate prosseguisse causando danos físicos às pessoas, sendo que o líder comunitário conhecido como “Paulista” teve que ser atendido no HPS e realizar uma sutura com 3 pontos na cabeça.

O Bloco de Lutas não deseja que a licitação aconteça. Eles defendem simplesmente a estatização completa do transporte coletivo. Mais uma vez sem apresentar qualquer dado técnico que respalde a proposta.
O que me causa espanto é que tanto a ZH como o Bloco de Lutas fazem do reajuste da tarifa de ônibus uma luta sem tréguas mesmo que ela esteja sendo reajustada abaixo da inflação e realizada de acordo com uma planilha absolutamente transparente.

Tarifas que extrapolam o bom senso e que abatem o bolso do brasileiro como as altas taxas de juros cobradas pelo sistema bancário não são questionadas. A tarifa absurda cobrada pelas companhias telefônicas que auferem os maiores lucros no Brasil entre todos os países não é questionada. A intensa elevação dos preços dos bens de primeira necessidade, especialmente dos alimentos, não merecem a repulsa deles.

De ZH, até compreendo o comportamento, pois entre os grandes anunciantes estão os maiores bancos do país, as principais companhias telefônicas e as grandes redes de supermercado. Mas em relação aos militantes do Bloco de Lutas quais os reais interesses em não questionar estes itens?

METRÔ: O SONHO PORTO-ALEGRENSE VIRA REALIDADE*

“Quando o Rio Grande do Sul se une, as coisas acontecem”. Usei essa frase em 14 de outubro 2011, quando a presidenta Dilma Rousseff esteve aqui para anunciar recursos federais para o Metrô de Porto Alegre. Hoje, passados exatos dois anos de muito trabalho e aperfeiçoamentos necessários, repito a afirmação para comemorar o sonho porto-alegrense que finalmente começa a sair do papel e a se tornar realidade.

A presidenta veio a Porto Alegre no sábado, 12, para consolidar o encaminhamento definitivo que irá viabilizar uma obra há décadas
grandes metrópoles mundiais que contam com o Metrô como espinha dorsal do transporte público.  Esta e as futuras gerações terão um transporte coletivo de alta qualidade e integrado com os demais modais, como o sistema BRT (transporte rápido por ônibus), o Trensurb e as linhas da Região Metropolitana. O Metrô será um marco na qualidade de vida dos mais de 320 mil usuários que diariamente farão o deslocamento entre o Centro, a Zona Norte e os municípios vizinhos de forma mais rápida, em uma infraestrutura confortável, segura e democrática.desejada pelos cidadãos da nossa cidade. Nesses dois últimos anos, trilhamos um caminho intenso de negociações, projetos técnicos e estudos de mercado, todas etapas fundamentais e inerentes à responsabilidade de realizar um investimento público de grande porte como o Metrô, com construção orçada em R$ 4,8 bilhões.

Esse investimento vai transformar a rotina dos moradores e visitantes de Porto Alegre, colocando a nossa Capital no patamar das
Em nome da cidade de Porto Alegre, torno público o meu sincero agradecimento à sólida rede de parceiros formada em torno do projeto: à equipe do governo federal, que foi incansável ao apoiar a qualificação da proposta e buscar alternativas para viabilizar o investimento; ao governo do Estado, que trabalhou alinhado com a prefeitura para não deixar escapar a grande oportunidade para a Capital gaúcha; às lideranças políticas do Executivo e do Legislativo engajadas na nossa luta ao longo do tempo; e, especialmente, aos profissionais do município, dedicados a consolidar um novo horizonte para Porto Alegre.

Hoje, temos as condições técnicas e financeiras necessárias para tornar realidade o sonho porto-alegrense do Metrô. Publicaremos nesta semana a nova proposta de manifestação de interesse para o mercado apresentar os estudos de viabilidade, etapa anterior à licitação que garante transparência, sustentação técnica e otimização dos recursos públicos. Não são poucos os desafios pela frente para tirar essa grande obra do papel, mas o projeto está sustentado no comprometimento em fazer uma cidade melhor no presente e para o futuro. Mãos à obra, porque temos um metrô a construir.

* Artigo publicado na edição desta segunda-feira, 14, na editoria de opinião do jornal Zero Hora.

DEFINIDO NOME DA COLIGAÇÃO DE FORTUNATI

A coligação que apóia a chapa majoritária de José Fortunati-Sebastião Melo na eleição à Prefeitura de Porto Alegre já tem nome. “Por amor a Porto Alegre” foi o título definido em reunião hoje, 01, com a participação de representantes dos nove partidos confirmados na aliança (PDT, PMDB,PTB, PP, PPS, DEM, PRB, PMN e PTN).  “O nome escolhido expressa bem a proposta que une os partidos da coligação: estamos juntos por amor a Porto Alegre, para fazer mais e melhor pela cidade, inspirando e mobilizando ainda mais a militância”, explicou Fortunati.

O nome da coligação deve ser registrado junto com a chapa majoritária até 5 de julho, prazo final estabelecido pela legislação. O registro deve ser acompanhado também de uma primeira versão do plano de governo proposto pela coligação.  “Da mesma forma que outras decisões, o plano de governo em sua versão final terá a participação democrática de todos os partidos e as contribuições que buscaremos na sociedade”, destacou o prefeito.

Encontro com a juventude

Durante o 3º Encontro da Juventude, promovido neste sábado (30) pelo PDT com representantes dos partidos que formam a coligação que apoia a reeleição de José Fortunati em Porto Alegre, o candidato enfatizou a importância dos jovens no processo eleitoral. “ São os jovens que contagiam, inspiram e produzem o bom debate e nesse sentido estamos afinados,em  sintonia total com a juventude. Vocês fazem a diferença em qualquer disputa eleitoral”, afirmou.

Fortunati reafirmou a disposição de contar com as propostas das juventudes partidárias na formulação do plano de governo da coligação, ao mesmo tempo em que destacou as principais iniciativas da administração dentro das políticas públicas para o segmento, a começar pela criação da Secretaria Municipal da Juventude. “Eu mesmo fico impressionado com o volume de ações desenvolvidas, não apenas pela Secretaria da Juventude, mas de forma transversal por vários órgãos da prefeitura”,explicou Fortunati, que,entre as atividades do dia, esteve a assinatura da ordem de início das pistas de skate da Praça México e de Belém Novo, “reivindicações dos jovens que começamos a atender”. Mais duas pistas serão construídas, uma no bairro Humaitá e outra no Parque Marinha do Brasil.

Amanhã, segunda-feira, Fortunati participa da aula inaugural do Pré-Vestibular Popular, o POP, que é uma parceria das secretarias da Juventude (SMJ) e da Educação (SMED), com a União Estadual dos Estudantes (UEE) e o Centro dos Estudantes Universitários de Engenharia (CEUE). As aulas são ministradas por estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Foto: Jéfferson Bernardes

FORTUNATI DESTACA PAPEL DOS JOVENS NA ELEIÇÃO

Durante o 3º Encontro da Juventude, promovido neste sábado (30) pelo PDT com representantes dos partidos que apoiam a reeleição de José Fortunati em Porto Alegre, o candidato enfatizou a importância dos jovens no processo eleitoral. “ São os jovens que contagiam, inspiram e produzem o bom debate e nesse sentido estamos afinados,em  sintonia total com a juventude. Vocês fazem a diferença em qualquer disputa eleitoral”, afirmou.

Fortunati reafirmou a disposição de contar com as propostas das juventudes partidárias na formulação do plano de governo da coligação, ao mesmo tempo em que destacou as principais iniciativas da administração dentro das políticas públicas para o segmento, a começar pela criação da Secretaria Municipal da Juventude. “Eu mesmo fico impressionado com o volume de ações desenvolvidas, não apenas pela Secretaria da Juventude, mas de forma transversal por vários órgãos da prefeitura”,explicou Fortunati, que,entre as atividades do dia,  realizou a assinatura da ordem de início das pistas de skate da Praça México e de Belém Novo, “reivindicações dos jovens que começamos a atender”. Mais duas pistas serão construídas, uma no bairro Humaitá e outra no Parque Marinha do Brasil.

Outras ações

Na segunda-feira, Fortunati participa da aula inaugural do Pré-Vestibular Popular, o POP, que é uma parceria das secretarias da Juventude (SMJ) e da Educação (SMED), com a União Estadual dos Estudantes (UEE) e o Centro dos Estudantes Universitários de Engenharia (CEUE). As aulas são ministradas por estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Já o TecnoJovem é um projeto tem como objetivo a qualificação profissional dos jovens carentes, que passarão a conhecer e dominar as novas tecnologias. Serão oferecidas 420 vagas, em sete cursos gratuitos. O Busão da Juventude, o Balada Segura, as bolsas para o ensino superior do Unipoa, a promoção e apoio ao Festival de Música da Juventude,  Semana da Juventude,  Semana do Hip-Hop, Semana da Bom Jesus, campanha antidrogas e de prevenção a gravidez na adolescência são alguns das ações em desenvolvimento ou em planejamento para os próximos quatro anos, além da conclusão do Centro Cultural e Esportivo da Bom Jesus e da implantação dos centros de referência da Juventude, previstos inicialmente para a Cidade Baixa, Bom Jesus, Restinga e Cruzeiro.

“Acredito que avançamos muito nas políticas públicas para a juventude, mas ainda temos uma longa estrada pela frente e, por isso, contamos com o engajamento de todos  na busca de melhores condições de vida e um futuro melhor para os nossos jovens”, observou Fortnati

Foto: Jéfferson Bernardes

Próxima Página »

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar