PREVENIR É PRECISO*

Porto Alegre possui títulos que entraram para a História e para a memória de todos. Desde ser metrópole multicultural e uma das cidades mais arborizadas do planeta até a imagem de cidade acolhedora, passando pelo fato de ser sede da Copa do Mundo, de ser o berço e definitivamente associada ao Fórum Social Mundial,  de ser referência mundial em democracia participativa – que se expressa, por exemplo,  no Orçamento Participativo – e, o  que mais nos toca particularmente, o de Cidade Amiga da Criança.

Entre as conquistas recentes da Capital dos gaúchos vale registrar o título de Cidade Inteligente, conferido por uma empresa do porte da IBM. E agora estamos  entre  cem metrópoles (mais de um milhão de habitantes) de todo o mundo beneficiadas com  financiamento da Fundação Rockeffeler, destinado às cidades melhor preparadas e mais aptas a retomar a normalidade após uma catástrofe natural. Trata-se de ganhar a condição de Cidade Resiliente.

Uma cidade resiliente é aquela na qual os efeitos de um desastre são minimizados por estar preparada para enfrentar adversidades naturais. É o que procura a Fundação Rockefeller entre metrópoles selecionadas para conferir o prêmio Cidade Resiliente. No Brasil, apenas Porto Alegre e o Rio de Janeiro integram a lista divulgada até o momento. Aqui o projeto encaminhado foi uma parceria transversal envolvendo a Secretaria de Governança, a Defesa Civil municipal, o Inovapoa e a participação da ONG Ciupoa.

Estamos longe de sofrer uma grande catástrofe natural. Nada indica que novas ocorrências possam surgir, como a grande enchente de 1941, mas a cidade toma providências preventivas. Educa para a participação social, para a sustentabilidade e para a responsabilidade ambiental; instituiu um comitê gestor de mudanças climáticas e de controle de gases de efeito estufa; faz diagnóstico permanente de áreas de risco – existem 45 consideradas de nível extremo em Porto Alegre –, criou e instalou sistemas de alerta, que convergem para o Centro Integrado de Comando da Capital (CEIC) além de fortalecer estruturas públicas de defesa civil, com a instalação de núcleos comunitários de atuação – entre outras providências de igual alcance preventivo.

Não se trata de uma mentalidade alarmista. O administrador público não pode deixar de investir na prevenção de riscos para a população, seja qual for a origem dos mesmos. Ao longo dos anos, sucessivas administrações desenvolveram tal mentalidade, com a efetiva colaboração da população, que identifica, relata e pressiona pela solução de problemas da cidade.  As chuvas torrenciais que castigaram Porto Alegre como nunca em 2013 reforçaram nossa crença de que prevenir é preciso. Participar da disputa proposta pela Fundação Rockefeller é continuar a busca pela receita perfeita: o encontro de uma administração séria com uma população atenta e exigente para tornar a cidade um local cada vez mais seguro e  melhor para viver.

* Artigo publicado originalmente na edição deste sábado, 14, do jornal Zero Hora

FORTUNATI DESTACA PROJETOS PARA MAIS SEGURANÇA

Mesmo que as responsabilidades dos municípios sejam subsidiárias em relação a Segurança Pública a questão constitui um dos 12 eixos do plano de governo da coligação Por Amor a Porto Alegre do candidato José Fortunati (PDT). O plano vai propor avanços em relação às iniciativas que a administração municipal vem realizando desde 2005 e que são coordenadas pelo programa estratégico Vizinhança Segura.

As ações são prioritariamente preventivas, como as de segurança nos parques e praças, nas escolas municipais, no trânsito, nos prédios públicos, além da participação em redes locais de direitos humanos nos quatro Territórios da Paz da cidade – Lomba do Pinheiro, Restinga. Bom Jesus e Cruzeiro. Também tem sido efetiva a atuação em segurança cidadã dos 16 Foruns Regionais de Justiça e Segurança, organizados nas regiões do Orçamento Participativo em parceria com as comunidades locais, a Guarda Municipal e os outros órgãos de segurança.

A implantação do projeto Porto Alegre + Luz, que substituiu todo o parque de iluminação pública de 80,5 mil pontos por um sistema mais eficiente, também contribuiu para um ambiente mais seguro à população nos seus deslocamentos noturnos.

Para o futuro, um conjunto de projetos já começa a ser implantado, com ações de inteligência, propostas de prevenção e educação e uma integração cada vez maior com os órgãos de segurança fazendo parte dos planos, que incluem também o aumento do efetivo policial em Porto Alegre.“ Vamos atuar principalmente sobre a prevenção para que fatos inadequados à sociedade não aconteçam. Exemplo é sistema de videomonitoramento nas escolas, a ser implantado até o final do ano, num trabalho de prevenção para que as crianças cheguem ao ambiente escolar com toda segurança, combatendo o bulling, a violência e dando tranqüilidade aos pais de que as crianças estão em segurança”, destaca Fortunati.

Propostas – Entre as propostas para a Segurança Pública, já incluídas na primeira versão do plano de governo “Porto Alegre Mais, Melhor, com Todos”, destacam-se:

- ampliar o cercamento eletrônico dos parques, com a instalação de câmeras de vídeo ao longo do perímetro desses espaços;
- tornar pleno o funcionamento do Centro Integrado de Comando da cidade, em implantação, com sistemas de informação, comunicação, operação e viodeomonitoramento;
- ampliar rede de videomonitoramento, completando o projeto que cobrirá toda a rede municipal de ensino;
- implantar unidade móvel do Centro de Referência às Vítimas de Violência para atendimento nas próprias comunidades;
- qualificar permanentemente a Guarda Municipal, dotando-a dos recursos necessários e promovendo sua maior integração com as outras forças de segurança.

Pesquisa – O coordenador político da coligação “Por Amor a Porto Alegre”, deputado federal Vieira da Cunha (PDT), comentou a pesquisa do Instituto Methodus publicada nesta terça-feira, 17, com as intenções de voto para prefeito de Porto Alegre, que revelou o crescimento de José Fortunati (PDT). De acordo com ele, neste início de campanha, as pesquisas são uma representação do potencial de cada candidato. “O que expressa o desejo do eleitor é o voto espontâneo e nesse cenário Fortunati lidera”, avalia.
Vieira destaca ainda a importância da propaganda eleitoral no rádio e televisão, na qual a coligação de Fortunati, por ter o maior número de adesões, contará com mais tempo para apresentar suas conquistas e propostas. “Vamos liderar todos os cenários à medida que os eleitores associarem a candidatura do Fortunati aos avanços da cidade nos últimos anos. Isso porque todas as pesquisas revelam uma excelente avaliação do atual governo, com índices superiores a 70%. Ou seja, temos um terreno fértil para crescer mais ainda durante a campanha.”, afirmou.

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar