DEMOCRACIA PARTICIPATIVA PULSA EM PORTO ALEGRE

Hoje encerramos as rodadas do Orçamento Participativo, rodadas 2013 para o Orçamento de 2014. As Plenárias iniciaram no último dia 15 de julho.

Foi um mês de intenso debates com as comunidades, refletindo e decidindo de que forma os recursos financeiros da Prefeitura devam ser investidos.

O OP completa 24 anos de existência na Capital dos Gaúchos. É a Democracia Participativa pulsando forte em nossa cidade. As decisões sobre investimentos na área da saúde, educação, assistência social, pavimentação, macrodrenagem, habitação popular, etc. passam obrigatoriamente pela decisão dessa ferramenta que tanto nos orgulha.
O OP funciona durante o ano todo com a participação dos Conselheiros e Delegados eleitos pelas comunidades ao longo de plenárias. São reuniões sistemáticas, semanais e extraordinárias entre os eleitos e o Governo para dar encaminhamento às decisões da comunidade.Desde 15 de julho, durante noites frias e sábados à tarde, as comunidades se mobilizaram para decidir a melhor forma de investir os recursos públicos. Uma verdadeira aula de cidadania com muita reflexão, debate, tensionamentos e decisões definitivas.Importante ressaltar que Conselheiros e Delegados eleitos desempenham atividades como voluntários, sem qualquer remuneração. São os “heróis” da vida comunitária e da democracia participtiva.

Foto: Ricardo Stricher/PMPA

DIGNIDADE E QUALIDADE DE VIDA NA NOVA CHOCOLATÃO

Grupo de Trabalho avança na busca de regramento para a Cidade Baixa

Na tarde desta sexta-feira, 9, estive reunido com o Grupo de Trabalho criado para buscar uma solução para o conflito estabelecido entre moradores e estabelecimentos comerciais que funcionam no bairro Cidade Baixa. Reunimos esse fórum para discutir com todas as instâncias envolvidas, de forma democrática como é tradição na Capital dos gaúchos, a melhor solução possível para a questão.

Tivemos um encontro produtivo, no qual avançamos bastante. Conseguimos uma ampla participação com a presença dos segmentos envolvidos e percebemos em todos os interlocutores muita disposição para contribuir na construção de um consenso que normatize de forma específica cada estabelecimento existente naquela região da cidade.

É importante deixar claro que, para toda a convivência social, é necessária a existência de um regramento e, numa cidade com Porto Alegre, com sua tradição histórica de respeito ás diferenças, isso é mais que adequado, é necessário. Estamos trabalhando para chegar a um modelo que contemple os direitos e deveres de todos. Queremos, ao fim e ao cabo, fechar um decreto que normatize a prática comercial nesse importante bairro e que permita a convivência harmônica entre comerciantes, visitantes e moradores.

Acredito num desfecho favorável muito em breve e na próxima semana já temos marcado um novo encontro.

Por fim, parabenizo a todos os integrantes do Grupo de Trabalho, formado por representantes dos moradores, dos empresários donos de bares, restaurantes e casas noturnas, músicos, e de várias secretarias da Prefeitura, que tem dedicado esforços a essa causa e que, de uma forma madura e propositiva, têm contribuído para que alcancemos o objetivo maior que é o bem comum.

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar