ARROIO AREIA – A MAIOR OBRA DE MACRODRENAGEM DE PORTO ALEGRE

Obras-Arroio-AreiaNotícias vindas de Brasília dão conta de que está muito próxima a assinatura da ORDEM DE INÍCIO DAS OBRAS DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ARROIO DA AREIA, a maior a ser construída na Capital de Todos os Gaúchos.

É importante destacar que após a conclusão das obras, que deverão levar em torno de 54 meses, 178 mil moradores de 14 bairros da cidade serão diretamente beneficiados com a construção de novas bacias e ampliação das redes subterrâneas, tanto em extensão quanto em circunferência. Serão, ainda, construídos 7 mil metros de galerias em 15 ruas, ampliação da casa de bombas com o objetivo de terminar com os alagamentos históricos da região.

Trata-se de uma obra financiada pelo PAC Prevenção/Macrodrenagem do Governo Federal via Ministério das Cidades no valor de R$ 100 milhões de reais. Desta forma o Consórcio Vencedor formado pelas empresas ACA Brasil/ANGOLACA/ACA/RGS/LC poderá inicia as obras nos próximos dias.

Esta é uma obra que a nossa cidade tem reivindicado há muitos anos já que a região atingida sofre com inundações sempre que uma forte chuva cai sobre a cidade. Para atender a uma demanda do OP – Orçamento Participativo nos credenciamos, em setembro de 2012, junto ao edital do PAC Prevenção do Governo Federal para viabilizar a obra.

Em 18 de dezembro de 2012 recebemos com euforia a notícia de que Porto Alegre tinha sido contemplada com o referido financiamento sendo que em 21 de dezembro de 2012 assinamos o Termo de compromisso com o Ministério das Cidades.

Depois de um intenso trabalho da equipe técnica do DEP, conseguimos em janeiro de 2014 garantir a contratação da elaboração do anteprojeto da ampliação do sistema de macrodrenagem da bacia hidrográfica do Arroio Areia o que permitiu que em julho de 2015 fizéssemos a publicação do Processo Licitatório para a elaboração dos projetos executivos e execução das obras.

Infelizmente, em setembro de 2015, tivemos que cancelar a licitação face à mudança da lei federal sobre a desoneração da folha de pagamento, o que forçou uma revisão do orçamento.

De setembro de 2015 a março de 2016 a equipe técnica do DEP, reforçada pela Secretaria de Gestão, trabalhou na correção do orçamento e na aprovação do mesmo pela CEF.

Em abril de 2016 publicamos um novo processo licitatório que foi finalizado em outubro de 2016, permitindo que em dezembro do ano passado a Prefeitura assinasse o contrato com o Consórcio vencedor da licitação.

Esta importante obra será executada na Av. Sertório, na Praça Lopes Trovão, Av. Plinio Brasil Milano, Av. Carneiro da Fontoura, Praça Francisco Guerra Blessman, Av. Visconde de Pelotas, Av. Anita Garibaldi, no Country Club, Praça Fortunato Pimentel, Av. Mal. José Inácio da Silva, Av. Assis Brasil, Avenida do Forte, Rua Couto Magalhães entre outras.

Merece destaque as inúmeras reuniões de negociação com o Country Club pois uma parte do terreno do Clube vai ser utilizado para a execução desta magnífica obra. Devemos agradecer ao atual Presidente Paulo Afonso Feijó toda a compreensão sobre a importância da obra e o empenho para que Prefeitura e o clube chegassem a um acordo sobre o tema.

Desta maneira todos estamos demonstrando que acima dos interesses deste ou daquele gestor existe um trabalho voltado para a solução dos graves problemas da cidade. Fico muito satisfeito em saber que o Prefeito Nelson Marchezan dará continuidade a esta que se tornará a principal obra de macrodrenagem da história de Porto Alegre.

METRÔ: O SONHO PORTO-ALEGRENSE VIRA REALIDADE*

“Quando o Rio Grande do Sul se une, as coisas acontecem”. Usei essa frase em 14 de outubro 2011, quando a presidenta Dilma Rousseff esteve aqui para anunciar recursos federais para o Metrô de Porto Alegre. Hoje, passados exatos dois anos de muito trabalho e aperfeiçoamentos necessários, repito a afirmação para comemorar o sonho porto-alegrense que finalmente começa a sair do papel e a se tornar realidade.

A presidenta veio a Porto Alegre no sábado, 12, para consolidar o encaminhamento definitivo que irá viabilizar uma obra há décadas
grandes metrópoles mundiais que contam com o Metrô como espinha dorsal do transporte público.  Esta e as futuras gerações terão um transporte coletivo de alta qualidade e integrado com os demais modais, como o sistema BRT (transporte rápido por ônibus), o Trensurb e as linhas da Região Metropolitana. O Metrô será um marco na qualidade de vida dos mais de 320 mil usuários que diariamente farão o deslocamento entre o Centro, a Zona Norte e os municípios vizinhos de forma mais rápida, em uma infraestrutura confortável, segura e democrática.desejada pelos cidadãos da nossa cidade. Nesses dois últimos anos, trilhamos um caminho intenso de negociações, projetos técnicos e estudos de mercado, todas etapas fundamentais e inerentes à responsabilidade de realizar um investimento público de grande porte como o Metrô, com construção orçada em R$ 4,8 bilhões.

Esse investimento vai transformar a rotina dos moradores e visitantes de Porto Alegre, colocando a nossa Capital no patamar das
Em nome da cidade de Porto Alegre, torno público o meu sincero agradecimento à sólida rede de parceiros formada em torno do projeto: à equipe do governo federal, que foi incansável ao apoiar a qualificação da proposta e buscar alternativas para viabilizar o investimento; ao governo do Estado, que trabalhou alinhado com a prefeitura para não deixar escapar a grande oportunidade para a Capital gaúcha; às lideranças políticas do Executivo e do Legislativo engajadas na nossa luta ao longo do tempo; e, especialmente, aos profissionais do município, dedicados a consolidar um novo horizonte para Porto Alegre.

Hoje, temos as condições técnicas e financeiras necessárias para tornar realidade o sonho porto-alegrense do Metrô. Publicaremos nesta semana a nova proposta de manifestação de interesse para o mercado apresentar os estudos de viabilidade, etapa anterior à licitação que garante transparência, sustentação técnica e otimização dos recursos públicos. Não são poucos os desafios pela frente para tirar essa grande obra do papel, mas o projeto está sustentado no comprometimento em fazer uma cidade melhor no presente e para o futuro. Mãos à obra, porque temos um metrô a construir.

* Artigo publicado na edição desta segunda-feira, 14, na editoria de opinião do jornal Zero Hora.

POR UMA CIDADE MODERNA, SUSTENTÁVEL E MELHOR DE SE VIVER

Quero conversar com vocês aqui da rede e com os moradores em geral sobre a obra de duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-rio, e toda esse debate gerado pela ação da prefeitura de Porto Alegre naquele local.

Em primeiro lugar, é importante que todos saibam que foi feita a licença ambiental adequada para a execução da obra. Além disso, há outros pontos que precisam ser observados como, por exemplo, o fato de naquela área termos um dos principais focos de poluição ambiental pelo engarrafamento diário com a emissão de gases pelos automóveis. Isso mostra que a  necessidade da duplicação da via é também uma questão ambiental e não somente um problema de mobilidade.

É importante ressaltar que há uma grande preocupação por parte do poder público com a compensação das árvores que precisarão ser removidas. No total, serão plantadas 401 mudas* com essa finalidade. Seguindo critérios técnicos,  as plantas exóticas serão substituídas por espécies nativas, uma exigência da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. É preciso lembrar  ainda que,  naquele espaço, também estamos iniciando a revitalização da Orla do Guaíba onde um trabalho paisagístico vai permitir o plantio de mais árvores nativas e a sustentabilidade ambiental da região.

Por fim, reconheço que faltou uma melhor comunicação com a comunidade, explicando as ações a serem implementadas e reconheço a riqueza do debate que protagonizamos. Ao longo da minha trajetória, e quem me conhece e me acompanha sabe disso, sempre fui um homem do diálogo e da construção coletiva. Tenho convicção de que estamos no caminho certo e de que todos aqui, assim como eu, curtem e cuidam da nossa cidade e é nessa perspectiva que seguiremos trabalhando na construção de uma Porto Alegre mais moderna, bonita, sustentável e cada vez melhor de se viver.

* Confira os locais que receberão os plantios compensatórios em função da obra de duplicação da Edvaldo Pereira Paiva:

- Avenida Oswaldo Aranha – 100 mudas
- Rua da República – 08 mudas
- Parque Farroupilha – 80 mudas
- Rua Lopo Gonçalves – 08 mudas
- Avenida Jerônimo de Ornellas – 10 mudas
- Parque Maurício Sirotsky Sobrinho – 60 mudas
- Avenida Independência – 20 mudas
- Rua Washington Luiz – 10 mudas
- Rua Garibaldi – 05 mudas
- Rua Santo Antônio – 60 mudas
- Viaduto Otávio Rocha – 26 mudas
- Centro Histórico – 14 mudas em substituição a espécies secas

 

Site da FIFA repercute início das obras do sistema BRT

A FIFA noticiou em seu site especial para a Copa do Mundo de 2014 o início das obras para a implantação dos sistemas de BRTs na Capital gaúcha. Segue abaixo, o texto publicado na página da entidade por meio do Comitê Organizador Local.

Porto Alegre inicia obras do sistema BRT

Começaram nesta segunda-feira (12/3) em Porto Alegre as obras necessárias para a implantação do sistema BRT (Bus Rapid Transit), que irá tornar mais rápido e seguro o transporte público da cidade. A medida faz parte do pacote de intervenções de mobilidade urbana visando a Copa do Mundo da FIFA, e representa um dos principais legados do evento na capital gaúcha.

A ordem de início da primeira etapa das obras foi assinada pelo prefeito da capital gaúcha, José Fortunati. “A Copa do Mundo da FIFA já está acontecendo em Porto Alegre. Projetos como o BRT irão representar uma transformação na rede de transporte coletivo da nossa cidade”, afirmou Fortunati.

A cerimônia ocorreu na Avenida Protásio Alves, uma das vias com intensa circulação de linhas de ônibus que irão receber o BRT. As avenidas Bento Gonçalves e João Pessoa também serão integradas ao novo sistema. Os veículos propostos são de grande capacidade e baixas emissões. Pelo projeto, os usuários terão informações de tráfego em tempo real. Haverá ainda sinal de trânsito prioritário nos cruzamentos e livre transferência de passageiros entre as linhas de ônibus.

As estações previstas serão fechadas e climatizadas, e seguem conceitos de sustentabilidade. O sistema de ar condicionado funciona através de ventilação natural e forçada. Estes mecanismos serão alterados conforme as condições climáticas, umidade e temperatura do ar, controlados por um sistema automatizado. A energia será gerada por painéis que compõem a cobertura das estações.

O nome do sistema BRT de Porto Alegre será escolhido por voto popular.

Fonte: FIFA.com

SOBRE OS EDIFICIOS-GARAGENS DO INTER

Quando anunciei o empenho da Prefeitura em apoiar a construção de dois edifícios-garagens no entorno do Beira-Rio como forma de desafogar o trânsito no Bairro Menino Deus nos dias de jogos do Inter ou de shows no Gigantinho, algumas pessoas entenderam que seria o Poder Público que faria a construção das obras.

É importante deixar claro de que a PREFEITURA de Porto Alegre NÃO vai colocar um único centavo nessas obras, como não está colocando dinheiro na reforma do Beira-Rio ou na nova Arena do Grêmio.

A construção dos edifícios-garagens será bancada com recursos do S.C. internacional com os seus parceiros privados. Cabe a Prefeitura agilizar o licenciamento da obra para que ela aconteça com a maior rapidez possível para atender a milhares de veículos de pessoas que vão ao Beira-rio ou ao Gigantinho. E este foi o compromisso que assumi com o Presidente Giovani Luiggi.

Todos sabem que o atual Beira-Rio quando foi projetado não previu a construção de estacionamentos condizentes com as necessidades de grandes concentrações de pessoas. Desta forma, em dias de jogo ou de shows as pessoas terminam por estacionar os seus automóveis no Bairro Menino Deus o que tem causado transtornos e reclamações dos moradores da vizinhança.

Para enfrentar esse problema com qualidade, o S.C.  Internacional, no projeto Gigante para Sempre, programou a construção de dois edifícios-garagens, um entre o estádio Beira-Rio e a Av. Edvaldo Pereira Paiva e  outro ao lado do Gigantinho, onde se situa o antigo estacionamento da EPTC.

Desta forma, as vagas a serem criadas vão beneficiar todo o bairro mesmo em dias sem jogos ou shows pois vão permitir que motoristas que vem da zona sul possam deixar os seus veículos nestes estacionamentos e se deslocar para o centro da cidade através do novo sistema de ônibus (BRTs), que será implantado na Av. Padre Cacique que também contará com corredor exclusivo de ônibus.

Ou seja, os edifícios-garagens, além de não receberem um único centavo da Prefeitura e serem construídos com recursos do Inter e seus parceiros, vão possibilitar uma maior organização do trânsito no Bairro Menino Deus.

 

Próxima Página »

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar