PORTO ALEGRE, NOSSO ORGULHO! *

Porto Alegre é uma cidade intensa, de população apaixonada. Por onde se anda, há manifestações acaloradas pró e contra alguma questão, projeto, posicionamento, serviço. A cidade do grenalismo. A cidade que cobra um futuro melhor. Difícil administrar uma Capital pulsante como a nossa? Sem dúvida. Mas se eu já me orgulhava de Porto Alegre enquanto cidadão, pelo afeto com que me acolheu, afirmo com tranquilidade e satisfação que me orgulho hoje ainda mais, sendo prefeito da nossa cidade.

São muitos e complexos os desafios de se administrar uma cidade com 1,4 milhão de pessoas, que formam uma sociedade questionadora. Mas andando pela cidade, visitando as comunidades, ouvindo representantes dos diversos segmentos, avalio como grande trunfo o potencial questionador dos moradores. Nosso desafio como sociedade na busca constante pela evolução é, entretanto, reverter esse forte posicionamento tão característico do nosso povo em uma autoestima renovada, reconhecendo o valor da nossa gente, da nossa cultura, do nosso trabalho, das construções coletivas que melhoram a vida dos cidadãos quando todos os agentes se apresentam de peito aberto para o diálogo, pelo bem comum.

Foram interações dessa natureza que consolidaram o Orçamento Participativo como oportunidade de as comunidades participarem ativamente das decisões sobre os investimentos mais importantes para o dia a dia dos moradores. Foi pela mobilização da sociedade que definimos, em concurso público, o melhor modelo de guarda-corpo para a ciclovia da Ipiranga. Foi a sociedade organizada que manifestou sua opinião sobre o edital de licitação dos ônibus nas reuniões do OP e nos outros canais oferecidos  pela prefeitura para ouvir a população, interação que contribuiu para qualificar a licitação e o serviço sob a ótica de quem utiliza o transporte coletivo. São apenas alguns exemplos, mas teríamos muitos outros sobre essa vocação cidadã do porto-alegrense.

Assim, reafirmamos que todos temos motivos para nos orgulhar da Porto Alegre que reúne as qualidades de uma multicidade, onde convivem tradição e vanguarda, conhecimento, inovação e tecnologia, espaço urbano e belezas naturais, história e futuro, diversidade e pluralidade, cultura e esporte, lazer e trabalho, com destaque em qualidade de vida, em participação popular e em paixão pelo futebol. Mas neste aniversário de 242 anos, que hoje celebramos, convido a uma reflexão para além dos projetos, obras de mobilidade, preparação à Copa.

Convido a pensarmos o que como cidadãos estamos fazendo para nos orgulharmos de Porto Alegre como sociedade. Uma sociedade que respeite as diferenças, que aceite o contraditório, que manifeste a sua opinião de forma pacífica, uma sociedade em que motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres convivam com respeito mútuo. Temos que ser a Porto Alegre que queremos. Esse sim é o maior legado que pode ser construído coletivamente, não por essa ou aquela administração, mas pelas pessoas que fazem o dia a dia da Capital e que têm o poder e a responsabilidade de praticar a cidadania de forma plena,a partir mesmo das atitudes mais simples. Por uma Porto Alegre que orgulhe ainda mais a todos nós.

* Artigo publicado na editoria de Opinião da edição de Zero Hora desta quarta-feira.

BANCÁRIO COM ORGULHO!

Hoje comemoramos o Dia Nacional dos Bancários, uma data que homenageia uma categoria aguerrida, marcada pela luta por seus ideiais e bandeiras e da qual tenho muito orgulho de fazer parte desde o final da década de 70.

Para quem não conhece minha história, lembro que, após militar no movimento estudantil como estudante da Ufrgs, foi no movimento sindical que consolidei o início da minha vida pública.  Como funcionário concursado do Banco do Brasil, presidi o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, no biênio 1985/86, e participei de importantes momentos da categoria como coordenação da luta contra a liquidação do Banco Sulbrasileiro, que deu origem ao Banco Meridional, bem como inúmeras mobilizações regionais e nacionais. Na mesma época participei também da fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio Grande do Sul, sendo seu primeiro presidente estadual em 1985, reeleito para a gestão seguinte, além de fazer parte da direção nacional da CUT como seu vice-presidente no ano de 1986.

Faço esse breve relato principalmente para aqueles que não conhecem minha relação com a categoria. Categoria essa que sempre procurei representar nos mandatos para os quais fui eleito e onde tive muitos companheiros que levei como exemplo ao longo da vida.

Não posso deixar de ressaltar também aqui os colegas que, em postos, agências e escritórios, prestam relevantes serviços à população e ajudam a escrever as páginas dessa história com garra, competência, dedicação e dignidade, valorizando a profissão e mantendo acesa a chama da luta coletiva e solidária para construir uma sociedade melhor.

Por fim, deixo aqui meu fraterno abraço a todos os colegas de profissão, lembrando que, apesar de exercer uma outra atividade nesse momento, meu coração ainda é o daquele jovem que ingressou no movimento sindical e nunca mediu esforços para empunhar a badeira dos bancários onde quer que fosse necessário.

Um feliz Dia dos Bancários a todos!

 

2012: O ANO DAS COOPERATIVAS

Hoje é o dia internacional do cooperativismo.
E é um dia do cooperativismo muito especial.

A ONU destacou 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas.

Hoje, assim, é um dia para comemorar – e para refletir.
O mundo cada vez mais acalenta sonhos e toca o dia a dia de forma coletiva.

Estamos aprendendo que vale a pena trabalhar de forma colaborativa
– e temos satisfação em nos relacionar de forma associativa.
A internet e as redes sociais deixam muito claro: compartilhar virou um gesto cotidiano.

Cada pessoa que, hoje, decide ser um cooperativado, não importa em que
área da economia, reforça a ideia de que é moderno e rentável conjugar,
acompanhar, reunir, convergir, agrupar-se.

Para citar um exemplo da nossa cidade, o Departamento Municipal
de Habitação (Demhab) tem o Programa de Incentivo ao Cooperativismo
Habitacional – além da elaboração de projetos e obras, o Demhab auxilia
na formação das cooperativas, prestando assessoria jurídica e urbanística.

Parabéns a todas Cooperativas. E parabéns especial às Cooperativas
de Porto Alegre. O cooperativismo está, na prática, aprimorando o mercado.
E transformando a sociedade.

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar