POA É DESTAQUE EM POLÍTICAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

A sociedade de consumo estipulou “padrões” para os homens e mulheres: peso, altura, cor dos cabelos, etc. As diferenças naturais são ignoradas.

As cidades e os seus equipamentos urbanos são organizadas dentro desses padrões uniformes. O de maior ou menor estatura são discriminados, os obesos, os portadores de deficiências mais ainda.

Por isso é fundamental a consolidação de políticas públicas que garantam que os “diferentes” sejam acolhidos em todos os meios: transporte coletivo, prédios e espaços públicos, academias de ginástica, entre outros.

O importante é que respeitadas as diferenças e deficiências todos sejam acolhidos por um espaço urbano adequado as várias realidades. Porto Alegre é vanguarda nas políticas públicas para pessoas com deficiência. Mas temos que reconhecer que um longo caminho tem ainda precisa ser percorrido.

PORTO ALEGRE SUSTENTÁVEL*

Mais do que uma expressão da moda, a sustentabilidade deve se constituir em realidade na vida das cidades, com ações práticas que garantam qualidade de vida e legado para as gerações futuras. Nesse contexto, Porto Alegre tem histórico de pioneirismo no debate e na implantação de ações relacionadas ao meio ambiente e de participação cidadã nas políticas públicas. Numa visão de futuro, destacamos importantes obras que reduzirão a emissão de gases do efeito estufa: sistema de ônibus rápidos (BRTS), metrô, rede de ciclovias, transporte hidroviário, além do Programa Integrado Socioambiental (Pisa), da revitalização da Orla e do Arroio Dilúvio.

Relembramos e enfatizamos esses itens a propósito do debate gerado pela ação da prefeitura em função da obra de duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio, no trecho próximo à Usina do Gasômetro.

Em primeiro lugar, é importante que todos saibam que foi feita a licença ambiental adequada para a execução da obra. Além disso, há outros pontos que precisam ser observados, como, por exemplo, o fato de naquela área termos um dos principais focos de poluição ambiental pelo engarrafamento diário com a emissão de gases pelos automóveis. Isso mostra que a necessidade da duplicação da via para proporcionar fluidez é também uma questão ambiental e não somente um problema de mobilidade.

É importante esclarecer também que há uma grande preocupação da prefeitura com a compensação das árvores que precisarão ser removidas. No total, serão plantadas 401 mudas com essa finalidade. Seguindo critérios técnicos, as plantas exóticas (não originárias de nosso ambiente) serão substituídas por espécies nativas, uma exigência da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Naquele espaço, também estamos iniciando a revitalização da Orla do Guaíba, que vai permitir o plantio de mais árvores nativas e a sustentabilidade ambiental da região.

Reconhecemos que faltou uma melhor comunicação com a comunidade, explicando as ações a serem implementadas.

Permitam-me agora falar na primeira pessoa para recordar que, ao longo da minha trajetória, e quem me conhece e me acompanha sabe disso, sempre fui um homem do diálogo e da construção coletiva. Uma declaração que não condiz com meu histórico de cidadão e homem público e que já ensejou um pedido de desculpas não deveria pautar de forma rebaixada o debate, nem macular a trajetória da qual me orgulho. Tenho convicção de que estamos no caminho certo e de que todos aqui, assim como eu, curtem e cuidam da nossa cidade e é nessa perspectiva que seguiremos trabalhando na construção de uma Porto Alegre mais moderna, bonita, sustentável e cada vez melhor de se viver.

* Artigo publicado na editoria de Opinião da edição de hoje do jornal Zero Hora.

COMPROMISSOS COM O FUTURO*

O nascer de um novo ano é um tempo de reflexões, de revisões e de assumir compromissos futuros. No caso do gestor público, as reflexões são importantes para avaliarmos se os nossos caminhos e os objetivos que perseguimos atendem aos interesses da sociedade. A prestação de contas do que fizemos nos remete à revisão do que precisa mudar para oferecer mais e melhor a todos os porto-alegrenses.

Temos consciência de que a gestão que se encerra produziu grandes avanços para a cidade. Tanto é assim que teve o referendo inconteste da população nas urnas, com uma vitória em primeiro turno no pleito de 2012, além dos reconhecimentos recebidos de instituições nacionais e internacionais, que nos orgulham e nos estimulam mais ainda. Vale recordar o Prêmio Prefeito Amigo da Criança, o Conceito A em Gestão Fiscal da Federação das Indústrias do RJ, a escolha de Porto Alegre como Cidade Inteligente pela IBM e tantos outros que expressam os esforços por nós empreendidos para melhorar a vida das pessoas.

Esse foi também um período de semeadura, com o começo da execução ou o planejamento final de importantes obras e a implantação de novos serviços. Vem agora um tempo de colheita. Junto com o vice-prefeito, Sebastião Melo, a equipe de secretários e auxiliares diretos e mais o comprometimento do quadro funcional, abriremos portas para novas mudanças, alavancando Porto Alegre a um novo patamar, onde o governo coopera e dialoga com a cidade.

O cenário de futuro promissor se constrói com grandes intervenções urbanas, como o Metrô, o sistema de ônibus rápidos (BRTs), o projeto Orla associado ao do Cais Mauá, as melhorias no saneamento, as obras viárias para facilitar a mobilidade e a expansão das ciclovias. Tudo isso irá marcar as nossas vidas, a dos nossos filhos e a da nossa cidade por muito tempo.

Olhar para o futuro é, principalmente, garantir prioridade para o atendimento em saúde, qualificar ainda mais a educação, ampliar a atenção à criança e ao adolescente, dar tranquilidade às mães trabalhadoras, oferecer mais oportunidade de trabalho para os jovens, promover parcerias pela segurança urbana, fomentar iniciativas que gerem emprego e renda, buscar a excelência na prestação dos serviços municipais, ou seja, investir na melhoria da qualidade de vida da população, o grande desafio posto aos administradores públicos. Esses são o nosso desafio e os nossos compromissos para os próximos quatro anos.

Trabalharemos para que a esperança dos porto-alegrenses em uma vida melhor não seja uma palavra perdida ao vento, para que a esperança dos que mais precisam se materialize em oportunidade de uma vida melhor. Ninguém nos tira a certeza de um futuro melhor. Já demos muitos passos e vamos dar muito mais.

Com isso, desejo a todos um abençoado 2013.

 

* Artigo publicado na edição desta segunda-feira do jornal Zero Hora.

APÓS UM 2012 DE CONQUISTAS, QUE VENHA 2013 E SEUS DESAFIOS!

BOAS FESTAS E FELIZ 2013

Próxima Página »

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar