DEFINIDO NOME DA COLIGAÇÃO DE FORTUNATI

A coligação que apóia a chapa majoritária de José Fortunati-Sebastião Melo na eleição à Prefeitura de Porto Alegre já tem nome. “Por amor a Porto Alegre” foi o título definido em reunião hoje, 01, com a participação de representantes dos nove partidos confirmados na aliança (PDT, PMDB,PTB, PP, PPS, DEM, PRB, PMN e PTN).  “O nome escolhido expressa bem a proposta que une os partidos da coligação: estamos juntos por amor a Porto Alegre, para fazer mais e melhor pela cidade, inspirando e mobilizando ainda mais a militância”, explicou Fortunati.

O nome da coligação deve ser registrado junto com a chapa majoritária até 5 de julho, prazo final estabelecido pela legislação. O registro deve ser acompanhado também de uma primeira versão do plano de governo proposto pela coligação.  “Da mesma forma que outras decisões, o plano de governo em sua versão final terá a participação democrática de todos os partidos e as contribuições que buscaremos na sociedade”, destacou o prefeito.

Encontro com a juventude

Durante o 3º Encontro da Juventude, promovido neste sábado (30) pelo PDT com representantes dos partidos que formam a coligação que apoia a reeleição de José Fortunati em Porto Alegre, o candidato enfatizou a importância dos jovens no processo eleitoral. “ São os jovens que contagiam, inspiram e produzem o bom debate e nesse sentido estamos afinados,em  sintonia total com a juventude. Vocês fazem a diferença em qualquer disputa eleitoral”, afirmou.

Fortunati reafirmou a disposição de contar com as propostas das juventudes partidárias na formulação do plano de governo da coligação, ao mesmo tempo em que destacou as principais iniciativas da administração dentro das políticas públicas para o segmento, a começar pela criação da Secretaria Municipal da Juventude. “Eu mesmo fico impressionado com o volume de ações desenvolvidas, não apenas pela Secretaria da Juventude, mas de forma transversal por vários órgãos da prefeitura”,explicou Fortunati, que,entre as atividades do dia, esteve a assinatura da ordem de início das pistas de skate da Praça México e de Belém Novo, “reivindicações dos jovens que começamos a atender”. Mais duas pistas serão construídas, uma no bairro Humaitá e outra no Parque Marinha do Brasil.

Amanhã, segunda-feira, Fortunati participa da aula inaugural do Pré-Vestibular Popular, o POP, que é uma parceria das secretarias da Juventude (SMJ) e da Educação (SMED), com a União Estadual dos Estudantes (UEE) e o Centro dos Estudantes Universitários de Engenharia (CEUE). As aulas são ministradas por estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Foto: Jéfferson Bernardes

QUANDO TRABALHAMOS JUNTOS, AS COISAS ACONTECEM

Recepcionando a presidente Dilma Rousseff ontem no aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre

A Capital de todos os gaúchos vive um momento de conquistas. Graças à união de esforços muitas coisas estão acontecendo e muito ainda  está por vir. Com seriedade, parceria e dedicação temos trabalhado para melhorar a vida das pessoas e tornar sonhos históricos realidade.

Temos que comemorar esse período de transformação que estamos testemunhando. Transformação essa que passa essencialmente pela sintonia, pela afinidade de projetos. Hoje, vivemos um momento ímpar em que os governos Municipal, Estadual e Federal trabalham alinhados, focados nos resultados e no bem-estar da população. São exemplos disso a conquista do Metrô de Porto Alegre, a revitalização do Cais e da Orla, a qualificação do Aeroporto Salgado Filho, as obras da Copa,  a construção da segunda ponte do Guaíba, entre tantas outras ações que evidenciam essa unidade. Todas comprovam que, ao fim e ao cabo, quando trabalhamos juntos,  as coisas acontecem.

Sem dúvida, nossas últimas conquistas só foram possíveis graças a uma visão moderna e arrojada do poder público. Unidos fomos capazes de aglutinar forças em prol do futuro e com a construção de uma cidade, de um estado e de um país cada vez melhores para todos.

Me sinto orgulhoso e feliz de participar deste momento histórico!

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

PORTO ALEGRE CONQUISTA METRÔ

“Quando o Rio Grande do Sul se une, as coisas acontecem”. Com essa afirmação, o prefeito José Fortunati sintetizou a mobilização construída pela prefeitura, em parceria com o governo do Estado e o governo federal, para conquistar os recursos necessários ao projeto do Metrô de Porto Alegre. A obra foi confirmada hoje, 14, pela presidente Dilma Rousseff. Em cerimônia no Palácio Piratini, com presenças de ministros, deputados e secretários, Dilma anunciou a inclusão da obra no PAC Mobilidade Grandes Cidades, garantindo R$ 1 bilhão em recursos da União para o projeto, que tem orçamento total de R$ 2,4 bilhões. (fotos)

Ao abrir a solenidade, Fortunati agradeceu a rede de parceiros que trabalhou pela concretização do metrô, destacando a presidente Dilma, com quem começou a discutir o investimento em 2009 – quando ainda era ministra da Casa Civil -, o governador Tarso Genro, a equipe do Trensurb, os representantes dos Legislativos estadual e municipal e os técnicos do município, além de outras lideranças políticas do estado. “É fundamental reconhecer o esforço do povo gaúcho em torno desse projeto, que contou ainda com valiosas parcerias no governo federal”, afirmou o prefeito.

Dilma destacou a parceria sólida que uniu as três esferas em torno do projeto. “Houve uma cooperação republicana entre governo federal, governo estadual e, sobretudo, do governo municipal”, disse, enaltecendo que a qualidade da proposta encaminhada por Porto alegre foi decisiva para a inclusão no PAC 2. “Precisamos reconhecer que os projetos apresentados pela prefeitura e o estado têm uma qualidade muito importante”, destacou.

A presidente afirmou ainda que é responsabilidade da União fornecer os recursos necessários para qualificar a mobilidade nas grandes cidades, e que a aplicação de R$ 1 bilhão na capital gaúcha tem o objetivo de tornar a obra viável sob o ponto de vista econômico e tarifário. “Temos perfeita clareza da importância para essa região dessa linha inicial. O metrô, com integração com os BRTs e outros sistemas, é um instrumento de inclusão social”, reforçou a presidente.

Além dos recursos a fundo perdido, a modelagem financeira do metrô inclui investimento de R$ 600 milhões pela prefeitura (R$ 300 milhões em financiamento pela Caixa e R$ 300 milhões de contraprestação de operação), mais R$ 22 milhões em isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN). O governo do Estado terá parcela de financiamento de R$ 300 milhões, mais isenções estaduais de R$ 243 milhões, e R$ 323 milhões serão originários de financiamento privado.

O projeto – O projeto do Metrô de Porto Alegre está baseado em um modelo de integração com os sistemas de BRTs (Bus Rapid Transit) e com o Trem Metropolitano (Trensurb), sendo uma ação estruturante não apenas para a Capital mas para toda Região Metropolitana. Com extensão de 14,88 km, a Fase 1 de implantação do metrô terá 13 estações, distribuídas entre as proximidades da Esquina Democrática e a Fiergs, na zona Norte.

O prefeito enfatizou que o investimento promoverá uma drástica qualificação na mobilidade dos moradores da Capital e da Região Metropolitana. “O Metrô vai revolucionar o transporte coletivo da nossa cidade. Porto Alegre está dando um salto para o futuro”, avaliou Fortunati, destacando que a construção do metrô vai ligar o transporte da Capital aos demais modais da Região Metropolitana, além de reduzir significativamente o volume das 30 mil viagens de ônibus que chegam diariamente na área central de Porto Alegre. Fortunati destacou ainda que a contratação de única empresa para construção e operação do serviço irá garantir otimização dos recursos públicos.

De acordo com o secretário municipal de Gestão e Acompanhamento Estratégico, Urbano Schmitt, a licitação para contratação da empresa deverá ser lançada no início de 2012. “Daremos início a uma fase importante do projeto, que inclui viabilização das operações de crédito, audiência pública para apresentar a proposta à comunidade e providências técnicas para estruturar a proposta de parceria público privada”, afirmou Schmitt. A empresa que terá concessão de 30 anos após os 5 anos para construção deverá estar contratada até o final do próximo ano. O metrô tem operação prevista para 2017.

A tecnologia empregada será de metrô leve com alimentação elétrica. A expectativa é de que o sistema atenda 300 mil passageiros por dia útil por meio de 25 composições de quatro carros, oferecendo intervalos de 180, 120 e até mesmo 90 segundos entre um embarque e outro. O traçado incluirá passará pelas avenidas Borges de Medeiros (extensão Rua da Praia), Voluntários da Pátria, Farrapos, Cairú, Brasiliano Índio de Moraes e Av. Assis Brasil.

Negociações – A confirmação do Metrô para Porto Alegre ocorre após três anos de intensa negociação liderada pela prefeitura para tentar tirar o projeto do papel. A primeira tentativa ocorreu em 2009, quando eram analisadas as iniciativas que comporiam o pacote de obras de preparação para a Copa do Mundo de 2014. Apresentada pela prefeitura ao governo federal, a proposta não se enquadrava nos critérios adotados pela União, especialmente devido aos prazos necessários para sua realização. Contudo, a prefeitura recebeu da Presidência da República o compromisso de analisar o projeto no âmbito do PAC da Mobilidade, anunciado hoje.

Durante mais de um ano, a prefeitura reestruturou o projeto, alterando seu traçado inicial rumo à zona Norte, local que representa 55% de toda demanda de transporte coletivo da Capital. Além disso, buscou nova equação financeira, agregando parceiros importantes no projeto como o Governo do Estado, que prontamente decidiu aderir e fazer parte desse esforço, concedendo isenções fiscais.

No dia 28 de março de 2011, a prefeitura cadastrou o projeto do metrô no sistema do PAC Mobilidade Grandes Cidades, que colocava à disposição R$ 18 bilhões a 24 municípios e regiões metropolitanas, sendo R$ 6 bilhões do Orçamento da União e R$ 12 bilhões na modalidade de financiamento.

Elogiado por ministros, o projeto de Porto Alegre foi debatido em diversas reuniões com o governo federal. Na última etapa, devido ao grande volume de pedidos recebidos pelo PAC, a prefeitura e o governo do estado empreenderam um esforço adicional para viabilizar, por meio de empréstimo, os recursos que faltavam para que obra pudesse ser anunciada hoje.

Fonte:  PMPA

Foto: Invo Gonçalves/PMPA

« Página anterior

Blog do Fortunati is using WP-Gravatar